Feijoada das Marias do Jongo

O jongo é composto por elementos de dança, batuque e canto. Suas matrizes vieram da região africana de Congo-Angola para o Brasil Colônia pelos negros de origem Banto que foram levados como escravos para o trabalho forçado nas fazendas de café do Vale do Paraíba e interior dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.

Se antes o jongo era uma das poucas possibilidades de diversão e manifestação religiosa dos negros escravizados, hoje, como percussor do samba, é manifestação afro-brasileira de resistência de reconhecida contribuição para a cultura brasileira.

Uma das formas de reconhecimento da importância do jongo como forma de expressão para a conformação da identidade cultural brasileira foi o registro como patrimônio histórico do Brasil. Em 2005, onde as comunidades tradicionais que vivenciam a cultura do jongo nos dias de hoje e estão organizadas na Rede de Memória Jongo Caxambu receberam este registro do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Brasil (IPHAN), sendo na Casa de Cultura Fazenda Roseira o 1º. Centro de Referência do Jongo do estado de São Paulo.

Feijoada das Marias do Jongo

As mulheres têm destacada importância na cultura afro-brasileira, inclusive para cuidar da tradição e dos segredos, assim com transmiti-los às novas gerações. E dentro da Comunidade Jongo Dito Ribeiro, as mulheres ocupam diversas funções de importância e reconhecimento dos demais.

Nessa perspectiva, desde 2005,sob a condução, orientação e ensinamentos de Edna Lourenço, Zeila Regina e sob as bençãos de Rogéria Malaquias (in memorian),acompanhada pela boa música, vários amigos e parceiros de Campinas e região.

Todo recurso arrecadado neste evento Beneficente, é direcionado para ações sociais da comunidade e para manutenção de projetos culturais na Casa de Cultura Fazenda Roseira, sob gestão compartilhada da Associação do Jongo Dito Ribeiro e secretaria Municipal de Cultura, que esta localizada no Residencial Parque da Fazenda, na periferia da região noroeste de Campinas, onde a Comunidade Jongo Dito Ribeiro firma-se nas tradições e rituais aprendidos pelos ensinamentos dos jongueiros velhos e pela família Dito Ribeiro e ainda transita em outros universos culturais.

A vivência da cultura do jongo, especialmente por crianças e adolescentes, é uma forma de alimentar o ciclo da cultura do jongo e da cultura negra em sua mais ampla diversidade, em que participam velhos e crianças. Se antes as crianças aprendiam a cultura do jongo com certa distância, por serem proibidas de entrar na roda encantada do jongo, hoje podem aprender de perto esta cultura como forma de valorizar a cultura afro-brasileira e os laços comunitários para a constituição de sua identidade.

Quem quiser ver fotos desta Feijoada clique e entre no Face da Fazenda Roseira ou da Comunidade Jongo Dito Ribeiro.

Folder11FeijoadadasMarias

FACE COVER FOTO Escolhendo Feijão

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: