Arquivo da tag: ancestralidade

Memórias do 14º Arraial Afro Julino

Já se passou um pouco mais de um mês, mas a memória é a que fica, o 14º Arraial Afro Julino foi no mínimo especial.

Esta edição, como divulgamos anteriormente, foi a última neste formato, das 12h do Sábado às 06h do Domingo. Este Arraial demarcou o encerramento de um ciclo de 15 anos de Arraiais Afro Julinos, os quais passam como um filme em nossa memória:

reencontros … vivências … cortejos … rezas … São Benedito … terço … Nossa Senhora … resistências … trabalho … quentão … acarajé … tapioca … bandeirinhas … bolo de aniversário … medalhinhas … cores … amizades … sol … irmandades … sorrisos … festejos … maracatu … samba de bumbu … samba de coco … capoeira … sol poente … afoxé … rimas … freestyle … porão … lua … rodas de jongo … fogueira … jongos … cachoeiras … mestres … mestras … canelinha … canja … machados … batucada … sereno … madrugada … quadrilha … forró … samba … milho verde … chocolate quente … saia de chita … sankofa … emoções … sol nascente … ancestralidade … Dito Ribeiro.

Mas este encerramento de ciclo não significa que acabou, pois para o próximo ano estamos planejando a realização deste momento num outro formato. Afinal, como dissemos em outros textos, esta data do segundo sábado do mês de Julho, demarca o aniversário da Comunidade Jongo Dito Ribeiro.

Um agradecimento especial a todas e todos os parceiros que estiveram conosco nestes 14 Arraiais Afro Julinos, pois sem a parceria dos grupos, das manifestações, dos coletivos, dos expositores, dos familiares, jamais teríamos tantos momentos especiais e inenarráveis.

Revisite as memórias dos Arraiais anteriores em https://comunidadejongoditoribeiro.wordpress.com/?s=Arraial

Seguem algumas imagens deste 14º Arraial Afro Julino da Comunidade Jongo Dito Ribeiro.

Até a Próxima!

AXÉ

Por Vanessa Dias

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais fotos de Gabriela Zanardi https://www.facebook.com/media/set/?set=a.694698217386584.1073741854.210733955783015&type=1&l=3aa9422659

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais fotos de Fabiana Ribeiro https://www.facebook.com/media/set/?set=a.696507543872318.1073741855.210733955783015&type=1&l=23b4c1e5bc

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais fotos de Flávia Machado https://www.facebook.com/media/set/?set=a.1678562292167983.1073741905.187847154572845&type=1&l=a8e0b2b815

Visite o Flickr da Comunidade/Fazenda Roseira https://www.flickr.com/photos/129926628@N03/albums/with/72157685222938764

Anúncios

Contribuição das Mulheres e a Feijoada das Marias do Jongo

Pelo 13° Ano consecutivo a Comunidade Jongo Dito Ribeiro comemora o aniversario das Marias do Jongo, tal festividade que tem como objetivo fundamental, evidenciar a contribuição dessas Mulheres, Negras e Filhas de Dito Ribeiro, para a Salvaguarda do Jongo através dos seus saberes culinários de ensinamentos e lições de vida. Por meio delas, realçar e homenagear todas as outras mulheres que contribuem não só para a Salvaguarda do Jongo quanto para toda sociedade em geral.

O que seria do mundo sem as Mulheres?


Mulheres como Edna Lourenço e Zeila, que anualmente passam a noite preparando a deliciosa feijoada que é servida durante o evento. Mulheres como as meninas do jongo que ajudam em toda produção e organização do evento, como também no apoio do preparo destes alimentos. Mulheres amigas e parceiras que nos auxiliam na venda dos convites, já que a feijoada consiste num evento beneficiente que anualmente acolhe 400 pessoas gratuitamente em tal festividade. Mulheres fotografas e do áudio visual, que registram todos os processos, para que possamos sempre ter essa memoria. Mulheres, Mulheres, Mulheres… que inclusive, deram a vida a todos os homens, nossos parceiros e que fazem parte da nossa trajetória, historia e processo permanente pela busca de direitos e igualdade de gênero, como DJ Barata, que abrilhantou nossa festa com sua nostalgia e sons da antiguidade, Mulheres como Dona Ivani, que cedeu seu quintal na Lapa/SP para que jovens se reunissem e dessem origem ao Samba da Ivani que sacudiu o público cheio de energia boa e sorrisos para compartilhar, Mulheres como as mães do Grupo da Serrinha que colocou a juventude para pagodear e do SaciCriolo que finalizou a Feijoada das Marias do Jongo, com chave de Ouro.

Viva as Mulheres! Viva a 13° Feijoada das Marias do Jongo! Com seus símbolos, seus tambores e sua importante ação de resistência pela permanência das tradições culturais negras.

Fotos: Neander Heringer

Por Bianca Ribeiro e Alessandra Ribeiro

4º Carnaroseira

O Carnaroseira desse ano foi no dia 28/01 abrindo os festejos de carnaval da cidade de Campinas, esse evento é produzido e idealizado pela nossas queridas mais velhas jongueiras, em sua 4ª edição o Carnaroseira tem a intenção de reviver os antigos bailes de carnaval com fantasias e marchinhas saudosas.

É um evento bienal a preço popular (ajuda de custo para manutenção da limpeza da casa ) então quem perdeu esse agora só em 2019!

Nossas mais velhas Dona Maria do Jongo e Tia Verinha

Outra característica do Carnaroseira é que acontece de dia, ou seja, uma bela matinê para nossas crianças, e elas aproveitaram muito essa folia.

Nossa programação estava de primeira começamos como grupo Casa Caiada trazendo o melhor do Samba, sempre em parceria os meninos entraram no nosso carnaval.

Depois a família Urucungus Puíta e Quijengues marcaram sua presença com o tradicional Samba de Bumbo.

E la das terrras de Barão Geraldo vem O Berra Vaca com suas marchinhas, Inacio Berra Vaca e sua banda carnavalesca animaram nosso quintal e a vaca berrou muito nesse dia.

O nosso tradicional Desfile de Fantasias foi um sucesso , tinha de tudo nesse Carnaroseira Viuva , Noiva,Mulher Gato, Mulher Maravilha, Frida Khalo, Enfermeiro, Comunistas, Moana, Bruxa, Marinheiro, Sereia, Vedetes, Batman… a fantasia realmente correu solta.

Mais parceiros de Barão Geraldo os blocos Cupinzeiro e União Altaneira se apresentaram no comecinho da noite e desfilaram pelo nosso quintal com suas baterias e a força da juventude:

E para encerrar Aureluce Santos nossa querida Dama do Samba de Campinas com sua voz inconfundível.

O Carnaroseira é assim simplicidade, respeito aos mais velhos e aos mais novos, respeito a diversidade, alegria e muita folia.

Agradecemos imensamente o carinho, parceria, entrega, amizade, alegria…amor e até 2019!

(fotos: registro colaborativo Comunidade Jongo Dito Ribeiro)

E vamos para a última semana do VIII Sou África em Todos os Sentidos

O mês de Novembro acabou, mas o VIII Sou África em Todos os Sentidos não!!

Depois do momento especial de Reinauguração do Centro de Referência Jongueiras e Jongueiros do Sudeste e do Centro de Documentação Tia Edite Ribeiro Barbosa (Vejam as fotos em https://www.facebook.com/Comunidade-Jongo-Dito-Ribeiro-210733955783015/), vamos para a última semana do Sou África deste ano.

inauguracaocr

inauguracaocr2

inauguracaocr3

inauguracaocr4

Corre que ainda dá tempo de participar da nossa programação e como a exposição do Centro de Referência é permanente, você pode aproveitar e visitá-la e saber mais sobre Jongo, sobre outras comunidades do Jongo do Sudeste e Projetos e Ações do Jongo Dito Ribeiro.

Segue programação desta semana:

viii_sou_africa_05dez11

06 de dezembro (Terça feira)

10h Cosmovisão dos povos do tronco linguístico Banto e sua relação com a tecnologia. Coord. Lucas César.

14h Quilombo construção de identidade e agricultura quilombola. Coord. Maíra da Silva

19h Assistência Social e as Matrizes Africanas – à confirmar

07 de dezembro (Quarta-feira)

10h Racismo ambiental e impactos urbanos – Coord. Lucas César e Maíra Silva

14h Avaliação das parcerias (2014-2016) e novas estratégias (2017-2018) Coord. Alessandra Ribeiro

08 de dezembro – NÃO ABRIREMOS nesse dia.

20h Evento do Pai Francisco na Casa de Cultura Tainã

09 de dezembro (Sexta-feira)

10h Estratégias para divulgação e acesso ao acervo do CR e Centro de Documentação Coord. Alessandra Ribeiro

14h Oficina Lab Afrohacker (coord. Flávia Machado e Vanessa Dias)

10 de dezembro – (Sábado)

10h Pisa na Tradição – Jardim Bassoli

18h Elesbão – TEATRO NA RUA – Praça Bento Quirino

11 de dezembro Casamento AFRO (Domingo)

É necessário se inscrever e adquirir convites para participar. Informações: alejongo@gmail.com

Vagas limitadas.

AXÉ!!

Reinauguração do Centro de Referência Jongueiras e Jongueiros do Sudeste – Comunidade Jongo Dito Ribeiro está no VIII Sou África nesta semana

E mais uma semana do VIII Sou África em Todos os Sentidos se inicia na Casa de Cultura Fazenda Roseira e a Comunidade Jongo Dito Ribeiro está nos últimos preparativos para a Reinauguração do Centro de Referência Jongueiras e Jongueiros do Sudeste – Comunidade Jongo Dito Ribeiro – Campinas/SP, no próxima dia 03 de Dezembro, a partir das 14h.

convite-cr

O Cento de Referência consiste em uma experiência concreta de ação de salvaguarda permanente no espaço do galpão, com acervos sobre as comunidades jongueiras, seus territórios e atuação e do Jongo do Sudeste como prática ancestral da cultura negra a partir dos olhares e percepções da Comunidade Jongo Dito Ribeiro – Campinas/sp. Estas ações foram possibilitadas por meio de um Edital do IPHAN em que a Comunidade, em parceria com o Ponto de Cultura NINA, foi contemplada com recurso para a execução das ações de Salvaguarda.

Vejam abaixo, as palavras de nossa Mestra Alessandra Ribeiro:

“Salve Famíliaaaaaaaaaaaaa CONVITE…CONVITE…CONVITE

Dia 03 de dezembro, às 14h esperamos TODAS E TODOS para mais uma vez agradecer pela PARCERIA, AMIZADE E CAMINHADA COMPARTILHADA.

Estaremos reinaugurando e LANÇANDO a REVISTA E DOCUMENTÁRIO do Centro de Referência JONGUEIRAS E JONGUEIROS DO SUDESTE COMUNIDADE JONGO DITO RIBEIRO CAMPINAS SP e o Centro de Documentação, Memória e Territórios “Edite Ribeiro Barboza”(in memorian).

Presenças confirmadas dos JONGUEIRAS DE : Guaratingueta (Quilombolas e Tamandaré), Piquete, São José dos Campos, Indaituba, Guaianazes, Cananéia, Embu das Artes, Lagoinha, São Luiz do Paraitinga, Cubatão, Taubaté.

Nossos parceiros do IPHAN -DPI, Secretaria do Estado de São Paulo, vários coletivos de CAMPINAS.

Contamos e aguardamos vocês.
Bora Jongar…

“É na roda de jongo que o MUNDO gira””

ale_convida_cr

Um dos trabalhos do Centro de Referência foi a realização de uma Caravana, a qual visitou todas as Comunidades de Jongo do estado de São Paulo, incluindo a CIMG_0364omunidade de Lagoinha e as memórias de Jongo de São Luiz do Paraitinga. Estas visitas foram registradas por meio de fotos, vídeos e textos, os quais comporão um video documentário e uma Revista que serão lançados também no dia da Reinauguração do Centro de Referência.

As jongueiras e jongueiros de Dito Ribeiro vem se preparando desde o mês de Agosto para esta atividade. Tanto o Casarão como o Galpão onde está1455074_1883885105171518_6303518253538817943_n o Centro de Referência foram reformados com recursos captados pela própria Comunidade em apresentações externas ou premiações como a da Categoria Territórios Culturais pelo Prêmio Governador do Estado de São Paulo no início deste ano de 2016.

Representantes das Comunidade Jongueiras do estado de São Paulo, Guaratinguetá, São José dos Campos, Piquete, Indaiatuba, Embú das Artes, Lagoinha, São Luiz do Paraitinga, Guaianazes, Cananéia, Cubatão, Taubaté estarão prestigiando o evento, assim como representantes do IPHAN-SP e do Poder Público Municipal de Campinas.

A programação será permeada por algumas mesas de apresentaçãosamba_de_lua_03dez16 do Projeto, Lançamento da Revista e Documentário do CR, apresentação de outros Projetos que envolvem documentação e acervo da Comunidade Jongo Dito Ribeiro, coquetel, roda de jongo e termina com o último Samba de Luá do ano.

Abaixo mais detalhes da programação do Dia 03 de Dezembro…

14h Mesa dos Parceiros: IPHAN, DPI, DAF, Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, Prefeitura Municipal de Campinas, Ponto de Cultura NINA e Comunidade Jongo Dito Ribeiro

15h Avanços e Desafios: Centro de Referência Jongueiros do Sudeste – Comunidade Jongo Dito Ribeiro Campinas SP

16h Lançamento da Revista, Documentários e Site Centro de Referência Jongueiros do sudeste – Comunidade Jongo Dito Ribeiro Campinas SP.

16h30 Inauguração do Centro de Documentação “Edite Ribeiro Barbosa” (in memorian)

17h Apresentação do Projeto Cartografia Social Comunidade Jongo Dito Ribeiro Campinas SP – parceria com a profa. Dra. Vera Lúcia – PUC Campinas

18h Coquetel de Encerramento e Roda de Jongo.

23h30 Comemoração do Dia do Samba – Samba de Luá – Último do Ano

Quer saber mais sobre o Centro de Referência Jongueiras e Jongueiros do Sudeste – Comunidade Jongo Dito Ribeiro – Campinas/SP é só acessar http://crjongoditoribeiro.org.br/

Até lá.

AXÉ!!

VIII Sou África em Todos os Sentidos

O Sou África em Todos os Sentidos é o período em que a Comunidade Jongo Dito Ribeiro, evidencia suas parcerias e suas relações, como o comprometimento com o fomento da Lei 10639/03, que torna obrigatório o ensino da Cultura Afro e a história dos africanos e Povo Negro. Exposição, debates, exibição de filmes e trocas de saberes entre público geral, acadêmicos e estudantes, sobre a presença negra acontecem em todo o mês de Novembro.

viii_sou_africa_2016_capa

Esta é a 8ª edição que acontecerá no período de 05 de Novembro a 11 de Dezembro de 2016 e tem como foco o compartilhamento do andamento e resultados dos Projetos desenvolvidos na Casa de Cultura Fazenda Roseira. Tais projetos perpassam pela educação para as relações étnico-raciais e educação patrimonial, fortalecendo ações de preservação da Memória, organização de Acervo, preservação do Meio Ambiente, Tecnologia, debates e empoderamento da Juventude e da Mulher Negra,

E de encontro a este momento as jongueiras e jongueiros de Dito Ribeiro comemoram 02 anos do Centro de Referência Jongueiras e Jongueiros do Sudeste – Comunidade Jongo Dito Ribeiro – Campinas-SP e ainda lançam uma revista com o registro das visitas realizadas nas Comunidades Jongueiras do estado de São Paulo, um dos trabalhos desenvolvidos via Centro de Referência.

O quê: VIII Sou África em Todos os Sentidos

Quando: de 05 de Novembro a 11 de Dezembro de 2016

Local: Casa de Cultura Fazenda Roseira (Rua Domingos Haddad, s/nº, Residencial Parque da Fazenda, Campinas-SP)

Mais informações: 19 99134-3922/ 98106-7238

E-mail: comunidadejongoditoribeiro@gmail.com/ alejongo@gmail.com

Vejam abaixo detalhes da Programação:

05 de Novembro (Sábado) – ABERTURA DO SOU ÁFRICA – Festival de Turismo – SESC Jundiaí – Mulheres no Mapaviii_sou_africa_2016_pag2

É necessário se inscrever para participar. Informações: alejongo@gmail.com

Vagas limitadas.

09h Roteiro Afro na Roseira:

10h CR e Roda de Jongo

12h Almoço AFRO Cultural11

14h Oficina de Percussão, Mankala e Turbantes

15h30 Roda de Encerramento

06 de Novembro (Domingo) – Turismo Social SESC Campinas

É necessário se inscrever para participar. Informações: alejongo@gmail.com

Vagas limitadas.

13h Roteiro AFRO na Casa de Cultura Fazenda Roseira

14h Oficina de Turbantes

15h CR e Roda de Jongo

16h30 Lanche Afro Cultural

17h Roda de Encerramento

08 de Novembro (Terça-feira)

10h30 Intervenção Ambiental: Projeto Oxósse e Ossanhe (prática)

14h Projeto Oke Aro: Preservação ambiental na Casa de Cultura Fazenda Roseira (avaliação e sistematização do ano 2016)

Coord. Lucas César e toda equipe do projeto

19h Projeto Parque Zumbi dos Palmares – Estratégias e Implementação

Convidados: CONDEMA, Gab. Carlão, Secretaria do Verde, etc

09 de Novembro (Quarta-feira)

15h Projeto de Educação Patrimonial: desafios e perspectivas (avaliação e sistematização das ações) Coord. Luanda e Noélia

10 de Novembro (Quinta-feira)

14h Projeto Percussão : toque, jongo e tambores

Coord. Bianca Lúcia e Felipe (avaliação e sistematização do ano 2016)

11 de Novembro (Sexta-feira)

10h30 Projeto Juventude (avaliação e sistematização) Coord. Vanessa Dias

12 de Novembro (Sábado) –

Dia da Umbanda na Praça Rui Barbosa – atrás da Catedral

Pisa na Tradição NA PRAÇA às 9h30

14h A Criança no jongo – Oficina de Jogos Africanos

Coord. Bianca, Lucas e Flávia Tamires (avaliação e sistematização)

15h30 Fechamento do Material do Fascículo Cartografia Social Comunidade Jongo Dito Ribeiro – PUC Campinas

13 de Novembro (Domingo)

Educação Étnico Racial: alternativas e parcerias

14h O território como espaço de educação: Personagens Negros e Roteiro afro Campineiro Coord. Alessandra Ribeiro (avaliação, possibilidades e sistematização)

16h Cultura e sexualidade

Coord. Lúcia Castro (avaliação, possibilidades e sistematização)

15 de Novembro (Terça-feira) – Se Joga na Roseira – SAMBA com feijoada

12h às 18h Projeto Samba Se Joga

16 de Novembro (Quarta-feira)

10h Círculo Sagrado das Mulheres (avaliação e sistematização) Coord. Juliana Ribeiro

11h30 Oficina de Costura: cultura e sustentabilidade (avaliação e sistematização) Coord. Ana Nery

15h Oficina de Turbantes (avaliação e sistematização) Coor. Dandewara, Noélia e Cristiane

19h Reunião da Marcha Zumbi no Aos Brados – Rua Culto à Ciência n. 56 – Centro

17 de Novembro (Quinta-feira)

9h30 Oficina de Turbantes

15h Lançamento do Livro da Coringa Bárbara Santos (Presença do Coringa Alessandro Conceição)

16h30  Apresentação do Projeto Teatro do Oprimido na Fazenda Roseira e suas Perspetivas

17h Apresentação dos Grupos de Teatro do Oprimido da Casa de Cultura Fazenda Roseira e entrega de certificados

18h Apresentação do Processo Quarto de Despejo (Atrizes Luanda Sant’Ana e Flávia Machado, Direção: Cíntia Birock)

19h Comemoração do Dia da Umbanda no Plenarinho – Câmara dos Vereadores

18 de Novembro (Sexta-feira)

10h Organização do Centro de Documentação “Edite Ribeiro Barbosa” – Preparação para a inauguração

14h Exibição de Vídeos:
– Baile Para Matar Saudades
– Raízes da Roseira
– Casa de Cultura Tainã – 25 anos

19 de Novembro (Sábado)

10h Palestra com o africano Mamatu do Reino do Mali – Histórias e realidades (Sundjata: Epopéia Mandinga)

13h Almoço na Estação Cultura

15h Roda de Jongo no II Festival de Culinária Afro Brasileira – Projeto Saberes e Sabores

20 de Novembro (Domingo)

09h Marcha Zumbi dos Palmares – Concentração

Estação Cultura

16h Roda da Mãe Preta – em frente a Igreja São Benedito – Rua Cônego Cipião.

19h30 Prêmio Zumbi dos Palmares – Câmara dos Vereadores (Homenageados Luanda Sant´Ana, Pai Joãozinho)

21 de Novembro (Segunda-feira)

16h Inauguração do centro de Capacitação e Qualificação Profissional Grife Criolê

Rua João, 27, Jardim Adelaide, Hortolândia-SP
Informações: 193809-3470/98440-1993
Ponto de Cultura Caminhos

22 de Novembro (Terça-feira)

Roteiro Afro – Escola agendada.

19h Legislação Municipal para a área da Cultura e sua Integração com outras Políticas Públicas – Plenarinho

da Câmara Municipal de Campinas

23 de Novembro (Quarta-feira)

14h – Oficina de Teatro do Oprimido, Presença da Rede de Juventude

Mostra de Teatro

24 de Novembro (Quinta-feira)

10h30 Gestão Compartilhada e Preservação do espaço

Coord. Jacinta, Ma. Alice e Alessandra

14h Roteiro Afro – Escola agendada.

viii_sou_africa_2016_pag325 de Novembro (Sexta-feira)

10h30 – Culinária Afro: cardápios, sabores e alternativas (avaliação e sistematização)

Coord. Maria Alice, Noélia e Alessandra

15h Oficina de Turbantes e sustentabilidade

Coord. Dandewara, Noélia e Cristiane (avaliação e sistematização)

26 de Novembro (Sábado)

10h Roteiro Afro e Pisa na Tradição – Escola agendada.

15h Palestra: Kedé Iptan – Roda de Tradição Oral (Mitologia Africana) – Pai Okun Olola

27 de Novembro (Domingo)

10h – 17h Mulheres e Tambores – Mestre Carla Careira do Tambor de Crioula de São Luís do Maranhão.

É necessário se inscrever e adquirir convites para participar. Informações: alejongo@gmail.com . Vagas limitadas.

29 de Novembro (Terça-feira)

10h Panorama sobre Juventude no município de Campinas – Guia da Juventude

14h Juventude Negra: Desafios e Avanços

19h Juventude de Terreiro – Política e intolerância religiosa – Palestra de Saulo Inácio da Silva

30 de Novembro (Quarta-feira)

10h Oficina de Grafite – Temática Identidade da Mulher Negra Jovem

14h CineMirongas

19h Círculo Sagrado de Mulheres – O poder das plantas

01 de Dezembro (Quinta-feira)

14h Oficina Lab Afrohacker (Coord. Flávia Machado)

19h -Reunião Saravaxé – ARMAC – Planejamento e confraternização.

02 de Dezembro (Sexta-feira) – Dia do Samba

10h30 Comunidade Jongo Dito Ribeiro: trajetórias, memórias e Perspectivas

14h Centro de Referência Jongueiros do Sudeste – Comunidade Jongo Dito Ribeiro: projeto, execução e pesquisa

16h Dia do Samba – O Samba em arquivo: Lembranças e registros do Samba pra São Jorge, Samba de Luá, Se Joga (avaliação e sistematização)

03 de Dezembro (Sábado) – REINAUGURAÇÃO CR E LANÇAMENTO DA REVISTA DO CR

É necessário se inscrever para participar. Informações: alejongo@gmail.com

Vagas limitadas.

14h Mesa dos Parceiros: IPHAN, DPI, DAF, Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo, Prefeitura Municipal de Campinas, Ponto de Cultura NINA e Comunidade Jongo Dito Ribeiro

15h Avanços e Desafios: Centro de Referência Jongueiros do Sudeste – Comunidade Jongo Dito Ribeiro Campinas SP

16h Lançamento da Revista, Documentários e Site Centro de Referência Jongueiros do sudeste – Comunidade Jongo Dito Ribeiro Campinas SP.

16h30 Inauguração do Centro de Documentação “Edite Ribeiro Barbosa” (in memorian)

17h Apresentação do Projeto Cartografia Social Comunidade Jongo Dito Ribeiro Campinas SP – parceria com a profa. Dra. Vera Lúcia – PUC Campinas

18h Coquetel de Encerramento e Roda de Jongo.

23h30 Comemoração do Dia do Samba – Samba de Luá – Último do Ano

04 de Dezembro (Domingo)

Bens Registrados- Desafios da Educação Patrimonial

14h Oficina de Acarajé – para crianças

14h Oficina de Berimbau – Capoeira

14h Oficina de Jongo – toques e pontos

16h Lançamento do Livro – No compasso da Vida – Maurício Martins

Coral AFRO de Laranjal Paulista SP

06 de dezembro (Terça feira)

10h Cosmovisão dos povos do tronco linguístico Banto e sua relação com a tecnologia.

Coord. Lucas César.

14h Quilombo construção de identidade e agricultura quilombola. Coord. Maíra da Silva

19h Assistência Social e as Matrizes Africanas – à confirmar

07 de dezembro (Quarta-feira)

10h Racismo ambiental e impactos urbanos – Coord. Lucas César e Maíra Silva

14h Avaliação das parcerias (2014-2016) e novas estratégias (2017-2018) Coord. Alessandra Ribeiro

08 de dezembro – NÃO ABRIREMOS nesse dia.

20h Evento do Pai Francisco na Casa de Cultura Tainã

09 de dezembro Jantar (Sexta-feira)

10h Estratégias para divulgação e acesso ao acervo do CR e Centro de Documentação Coord. Alessandra Ribeiro

18h Elesbão – TEATRO NA RUA – Praça Bento Quirino

20h Jantar Dançante ARMAC – à confirmar

10 de dezembro – (Sábado)

10h Pisa na Tradição – Preparação do Casamento Afro

18h Elesbão – TEATRO NA RUA – Praça Bento Quirino

11 de dezembro Casamento AFRO (Domingo)

É necessário se inscrever e adquirir convites para participar. Informações: alejongo@gmail.com

Vagas limitadas.

Nos vemos lá!

AXÉ

Programação do 13º Arraial Afro Julino da Comunidade Jongo Dito Riberio

Cartaz_programacao2-03

“Esse ponto destrava a mente

esse ponto não trava a língua

É na roda de jongo que o mundo gira

É na roda de jongo que o mundo gira

E se o tempo fechar

a nossa estrela ainda brilha

É na roda de jongo que o mundo gira

É na roda de jongo que o mundo gira ” (Ponto da Comunidade Jongo Dito Ribeiro)

Salve Salve Comunidade! está chegando o 13º Arraial Afro Julino da Comunidade Jongo Dito Ribeiro, esse ano em clima de luta pelos direitos democráticos, o lema é ” Nenhum Direito a Menos” .

Estamos preparando uma festa linda com o melhor da Cultura Afro, Feira de Economia Solidaria com artesanatos e comidas deliciosas . Teremos a tradicional canja e canelinha que são cortesias da casa. E claro muito jongo!

Confira a nossa programação:

12h – Terço a São Benedito

terço a sao benedito

O terço é uma das formas com que agradecemos a São Benedito por sua proteção a Comunidade Jongo Dito Ribeiro – Campinas/SP.

12h30 – Capoeira IBECA (Campinas/SP)

ibeca

O Instituto Brasileiro de Esporte Cultura e Arte – IBECA é uma entidade social, sem fins lucrativos. Foi fundado no dia 30 de Dezembro de 2004, por Tiago de Camargo, conhecido na capoeira como Mestre Formiga e seus alunos de Capoeira. Tem como missão contribuir com o reconhecimento e a valorização da capoeira como um patrimônio cultural imaterial de Campinas/SP, do Brasil e da Humanidade.São parceiros da Casa de Cultura Fazenda Roseira e aqui o Professor Paulo Costa ministra aulas de capoeira todas terças e quintas.Sempre estão presentes em nossos arraiais.

13h30 – Urucungus Puítas e Quijengues (Campinas /SP)

urucungus (foto Robson Sampaio)

Com a liderança de Alceu Estevam e Rosa Líria Pires Sales, o Urucungos foi fundado em 1988 na Universidade Estadual de Campinas-SP (UNICAMP), através de um curso de extensão, ministrada pela Profa de cultura popular Raquel Trindade que o batizou de Urucungos (Berimbau), Puítas (Cuíca) e Quijêngues (Tambor), instrumentos musicais africanos proveniente de Angola e muito difundido no Brasil. O grupo tem como missão principal resgatar, preservar e divulgar a cultura popular brasileira de acordo como elas são manifestadas nas suas origens e apresentada ao público em forma de arte, apresentam danças circulares afro brasileiras como o Coco de  Alagoas, Samba Lenço, Samba de Bumbo, Samba de Roda. A marca  principal do Urucungos é fazer com que o público participe das suas  performances, criando um ambiente de integração coletiva, onde a música, a  dança e as cantorias  mistura-se com as energias das pessoas,  formando neste momento a verdadeira manifestação popular, que é aparticipação do público.

15h – Jongo de Embu das Artes (Embu das Artes/SP)

embu das artesFoi fundado em 4 de julho de 2008, dirigido pelas Mestres Sol e Bina. Filha e mãe de uma família de jongueiros de varias gerações. em Embu quando colocado o Jongo na cidade foi para atrair um publico geral com especial atenção nas crianças que são a garantia de continuidade, para não cair no esquecimento. O resultado do esforço fica visível no mágico encanto das suas aprentações.

16h30 – Aureluce (Campinas/SP)

Aureluce

Aureluce Santos nasceu em Campinas e ensaiou suas primeiras notas no Coral Maria Neves Baltazar até se revelar ao interpretar vários sambistas. Atualmente é reconhecida como “a Dama do Samba de Campinas”, atraindo plateias de todas as idades.

18h -Jongo de Pinheiral (Rio de Janeiro /RJ)

Jongo de Pinheiral

O Grupo Jongo de Pinheiral, formado por moradores da comunidade, mantém viva esta expressão de origem africana deixada pelos negros escravizados da Fazenda São José dos Pinheiros, berço histórico de Pinheiral. Fundado em 1996 com o objetivo de preservar a dança de jongo e aprimorar a biblioteca cultural afro brasileira na região de Pinheiral -RJ.

19h30 – Aláfia (São Paulo/SP)

Alafia

Onze personalidades juntas para fazer surgir um som denso, cosmopolita, dançante. Tudo começou em 2011, quando o bando Aláfia esquentava afinidades em uma temporada de shows no Bar B, no centro de São Paulo. A fala da rua, o frescor dos encontros e o contato profundo com a ancestralidade afro-­brasileira então se mostraram aspectos fundamentais para a criação do grupo. Aláfia é o encontro entre o moderno e o tradicional, a periferia e o centro, a simplicidade e a sofisticação, a paz e a luta. Urbano, o bando pertence à cidade em transe. A música do Aláfia surge da digestão dessas influências diversas, do ponto de encontro entre rap,música de terreiro, MPB e funk. Ritmos e melodias dão forma a uma lírica sofisticada que questiona a sociedade atual e não deixa indiferente. Formada por Eduardo Brechó (voz e guitarra), Jairo Pereira (voz), Xênia França (voz), Lucas Cirillo (gaita), Alysson Bruno (percussão), Victor Eduardo (percussão), Pipo Pegoraro (guitarra), Felipe Gomes (bateria), Gil Du arte (trombone e flauta), Fabio Leandro (teclados) e Gabriel Catanzaro (baixo), a banda também conta com inúmeras parcerias e amizades da cena musical atual.

21h- Jongo do Tamandaré (Guaratinguetá/SP)

jongo do tamandaré

O Jongo da saudosa tia Mazé,com existência no bairro do Tamandaré em Guaratinguetá há mais de 100 anos e que há cerca de 10 anos apadrinhou a Comunidade Jongo Dito Ribeiro e nos ensinou a pisar na tradição e reconhecer nossas origens.

22h30- Choque Vermelho (Campinas/SP)

choque vermelho

O Show do Choque Vermelho trás um repertório próprio e interativo do início ao fim de sua performance. Trabalha projeções, performances e mensagens socais que perpassam referências da música afro-brasileira e latina. Seus integrantes são gente dos pontos de cultura, do teatro popular, da mídia livre e dos comunicadores independentes, militantes envolvidos com a efervescente cena da democratização da cultura e do conhecimento, da resistência periférica e marginal de Campinas. Estar num show do Choque Vermelho é como estar dividindo o palco com este.

00h Comunidade Jongo Dito Ribeiro (Campinas/SP)

comunidade jongo Dito Ribeiro

A Comunidade Jongo Dito Ribeiro é formada por um grupo que reconstitui a manifestação do jongo em Campinas/SP por meio da memória de familiares de Benedito Ribeiro e outras pessoas que se encontraram e se reconheceram como jongueiras.

01h30 – Fuluke e a Máfia Africana (Campinas /SP)

fuluke

O grupo Máfia Africana é um coletivo musical que tem raízes na música negra popular, com influências do camdomblé ao jazz. Com repertório de músicas próprias, as letras dialogam sobre a cultura preta ancestre e atual. Resgatando e fortalecendo os três pilares desta cultura através do RAP: oralidade, ancestralidade e resistência. As rimas em pretoguês de “Fuluke” dão sentido à intervenção musical dos toca-discos e samplers de “Xegado”, acompanhado pelo toques dos tambores de “Brendon” e a força das vozes e cânticos de “Meire”.

03h-Baque de Santa (Santa Barbára D’Oeste/SP)

baque de santa

Grupo de Maracatu de Baque Virado, Baque de Santa vem de Santa Barbara D’Oeste e tem influencias de diversas nações tradicionais de Maracatu, trazendo a diversidade desse ritmo em sua essência.

04h- Marília Correa (Campinas/SP)

Marilia Correa

Nascida em Campinas, Marília começou a carreira musical em 2009. O timbre e a sensibilidade musical única da artista vêm conquistando cada vez mais espaço nas noites do interior paulista e em grandes capitais. Seu repertório é composto por canções autorais que atraem cada vez mais seguidores e apaixonados por seu trabalho. Além disso, a cantora inclui em seu show grandes nomes como: Djavan, Lenine, Cazuza, Tim Maia, entre outros. Em 2013, Marília assumiu os vocais, violão e percussão de projetos assinados pela produtora 3S, com apoio da ProAc e da Secretaria de Cultura de SP, incluindo a releitura moderna do movimento Tropicalista. Hoje, ela leva arte visual e cultura às escolas, periferias e presídios.

05h Bateria Alcalina (Campinas/SP)

bateria alcalina

O Instituto de Artes da UNICAMP é o berço da Bateria Alcalina: em 2003, estudantes da universidade e percussionistas de São Paulo e Campinas formaram esta bateria universitária, que logo se destacou por sua proposta e características singulares. Além do samba, interpreta diversos ritmos afro-brasileiros adaptados para a formação de bateria de escola de samba.

No porão os Djs: Dj Samuca e Dj Brechó (do grupo Aláfia); DJ JP; DJ Taynara; DJ Chakal e nosso mestre de cerimonia o DJ Barata.

DJ Barata

Lucas Barata é natural de Salvador, Bahia. Sediado em São Paulo desde 2001 realiza atividades como DJ, Produtor Cultural, Pesquisador Musical e Livre-Radialista. Como DJ, se interessa mais particularmente pelos ambientes que a música pode ajudar a criar do que pelos processos de audição propriamente ditos, e defende a discotecagem como um motor de dinâmicas sociais, estéticas e festivas, como uma ferramenta de construção de espaços e relações.

Local : Casa de Cultura Fazenda Roseira – Rua Domingos Haddas nº1 , Residencial Parque da Fazenda , referencia: Av John Boyd Dunlop em frente ao Hospital da PUCCII .

Entrada : 1 k de alimento não perecivel (menos sal) ou 10 R$

Data : 9 de julho de 2016 .