Todos os posts de Vanessa Cultura

Jongo Dito Ribeiro Participa de VIII Encontro Paulista de Jongueiros

É um evento realizado e sediado cada ano por uma Comunidade distinta, que tem o objetivo principal de reunir as Comunidades Jongueiras do estado de São Paulo como uma ação de Salvaguarda, por meio de rodas de conversa e vivência da roda de Jongo das comunidades jongueiras presentes no Encontro.

Neste ano o Encontro Paulista foi realizado na cidade de Indaiatuba –SP, sede da Comunidade Jongueira Filhos da Semente. Segundo a jovem jongueira de nossa comunidade, Flávia Tamires, o Encontro

“…nos proporcionou um ambiente maravilhoso e cheio de energia positiva. As Comunidades foram recepcionadas por Jovens Jongueiros da própria Comunidade. Em seguida fomos levados até o espaço das atividades, onde já se encontravam outros jovens tocando e cantando músicas relacionadas a nossa Cultura Afro, como o nosso famoso yjexá. Inicialmente tivemos um tempo para nos ambientar olhar calmamente as exposições de parceiros externo como Artesanatos, Vestimentas e Alimentação. Depois que estávamos acomodados as rodas de Jongo se iniciaram com todas as Comunidades juntas na abertura. Logo depois cada Comunidade de Jongo se apresentou com seu figurino e tambores da sua Comunidade. Mais um ano de aprendizado com todas as Comunidades que são tão importantes para manter nossa tradição viva em nossa Cidade e dentro de cada um de nós … Gratidão Família. Cachoeira / Machado”

O Encontro Paulista de 2018 já tem local. Será sediado pela Comunidade Jongueira TIDUCA, localizada no município de Cananeia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Por Vanessa Dias e Flávia Soares

Fotos: Flávia Machado

Veja mais fotos em: https://www.flickr.com/photos/129926628@N03/albums/72157688070448515/page1

Anúncios

Juventude Jongueira Organizada

Salve Salve Comunidade…

Vocês sabiam que a Juventude Jongueira também é organizada? Pois é, eles se reúnem periodicamente para trocar ideias e se fortalecerem enquanto jongueiras e jongueiros.

No final do mês de Julho a nossa jongueirada jovem foi à uma Reunião de Articulação (RA). Vejam o depoimento de Bianca Ribeiro, jovem jongueira da nossa comunidade e uma das lideranças neste movimento. Ela fez um breve relato sobre a RA:

“RA Jovens Lideranças Jongueiras

A última Reunião de Articulação das Jovens Lideranças Jongueiras ocorreu nos dias 28, 29 e 30/07 em Angra dos Reis/RJ (Quilombo de Santa Rita do Bracuí/ Jongo de Angra).

No dia 28 tivemos a chegada e acolhimento dos Jovens Jongueiros das 12h às 19h, almoço, lanche e janta.  ÀS 20H fizemos uma roda de informes das Comunidades presentes: Campinas/SP, Guaratinguetá/SP, São Jose dos Campos/SP, Miracema/RJ, Serrinha/RJ, Carangola/MG, Arrozal/RJ, Vassouras/RJ, Pinheral/RJ, Mambucaba/RJ, Bracuí/RJ e os Articuladores do Pontão do Jongo/Caxambu e depois finalizamos nossa noite com uma boa roda de Jongo.

Dia 29, 08h tomamos o café da manhã coletivamente feito pelas mais velhas da Comunidade do Bracuí e logo às 10h começamos uma roda de conversa na casa da Dona Marilda (Uma das responsáveis pelo Quilombo) onde nos contou algumas das histórias do Quilombo, nos apresentou brincadeiras da antiguidade como: Pião Humano, Dona Maricota e O Ganso, e nos levou para conhecer o ‘’Museu Passados e Presentes’’, onde através de imagens e textualidades, contam a trajetória do Jongo no Quilombo.

Almoçamos por volta das 13h e como de costume, fizemos uma pequena roda de Jongo.

Às 15h fizemos uma roda de debate com Delsio Bernardo, Jaqueline e Marisco, que vieram fazer uma troca de ideias e reflexão sobre à Luta e Resistência do Povo Preto nas Universidades e na Política.

Fizemos uma pequena pausa para o lanche da tarde às 17h30 e logo após, nos reunimos para uma rode de conversa com a Luciana (Liderança da Comunidade) e Amanda que falaram sobre Licenciatura e Educação do Campo e com o Marcos Vinicius que falou sobre Agroecologia.

Enfim, finalizamos nossa noite com muito Jongo e uma Balada Afro Quilombola.

No último dia, vulgo dia 30,  tomamos o café da manhã às 10h e logo nos encaminhamos até o canteiro de hortas onde realizamos a discussão sobre Preservação Ambiental especificamente Quilombola. Logo em seguida fizemos nossa roda de conversa com as Avaliações Finais e as últimas propostas para a próxima RA.

13h almoçamos e voltamos para nossas comunidades!!!

“Cada jongueiro novo que nasce ô lelê, é um sol pronto para Raiar ‘’

Cachoeira!

E assim é a Cultura do Jongo… os mais novos se fortalecendo e aprendendo com os mais velhos as mirongas que envolvem este Patrimônio Imaterial. A sabedoria das mestras e mestres e a vivacidade da juventude contribui para a Salvaguarda do Jongo do Sudeste.

Quer saber mais sobre  o Jongo do Sudeste, visite o nosso site do Centro de Referência Jongueiras e Jongueiros do Sudeste http://crjongoditoribeiro.org.br/

Salve a Juventude Jongueira!!!

Por Vanessa Dias e Bianca Ribeiro

Fotos: Felipe Damas

Memórias do 14º Arraial Afro Julino

Já se passou um pouco mais de um mês, mas a memória é a que fica, o 14º Arraial Afro Julino foi no mínimo especial.

Esta edição, como divulgamos anteriormente, foi a última neste formato, das 12h do Sábado às 06h do Domingo. Este Arraial demarcou o encerramento de um ciclo de 15 anos de Arraiais Afro Julinos, os quais passam como um filme em nossa memória:

reencontros … vivências … cortejos … rezas … São Benedito … terço … Nossa Senhora … resistências … trabalho … quentão … acarajé … tapioca … bandeirinhas … bolo de aniversário … medalhinhas … cores … amizades … sol … irmandades … sorrisos … festejos … maracatu … samba de bumbu … samba de coco … capoeira … sol poente … afoxé … rimas … freestyle … porão … lua … rodas de jongo … fogueira … jongos … cachoeiras … mestres … mestras … canelinha … canja … machados … batucada … sereno … madrugada … quadrilha … forró … samba … milho verde … chocolate quente … saia de chita … sankofa … emoções … sol nascente … ancestralidade … Dito Ribeiro.

Mas este encerramento de ciclo não significa que acabou, pois para o próximo ano estamos planejando a realização deste momento num outro formato. Afinal, como dissemos em outros textos, esta data do segundo sábado do mês de Julho, demarca o aniversário da Comunidade Jongo Dito Ribeiro.

Um agradecimento especial a todas e todos os parceiros que estiveram conosco nestes 14 Arraiais Afro Julinos, pois sem a parceria dos grupos, das manifestações, dos coletivos, dos expositores, dos familiares, jamais teríamos tantos momentos especiais e inenarráveis.

Revisite as memórias dos Arraiais anteriores em https://comunidadejongoditoribeiro.wordpress.com/?s=Arraial

Seguem algumas imagens deste 14º Arraial Afro Julino da Comunidade Jongo Dito Ribeiro.

Até a Próxima!

AXÉ

Por Vanessa Dias

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais fotos de Gabriela Zanardi https://www.facebook.com/media/set/?set=a.694698217386584.1073741854.210733955783015&type=1&l=3aa9422659

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais fotos de Fabiana Ribeiro https://www.facebook.com/media/set/?set=a.696507543872318.1073741855.210733955783015&type=1&l=23b4c1e5bc

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais fotos de Flávia Machado https://www.facebook.com/media/set/?set=a.1678562292167983.1073741905.187847154572845&type=1&l=a8e0b2b815

Visite o Flickr da Comunidade/Fazenda Roseira https://www.flickr.com/photos/129926628@N03/albums/with/72157685222938764

Memória do Samba pra São Jorge do Domingo 23 de Abril

‘’ Vou acender velas para São Jorge

A ele eu quero agradecer

E vou plantar comigo-ninguém-pode

Para que o mal não possa então vencer ‘’

Domingo 23 foi dia de Jorge na Casa de Cultura Fazenda Roseira.

Pelo 4° ano consecutivo nossas Guerreiras e Guerreiros dessa casa de cultura, abrem suas portas para receber seus amigos e parceiros numa tarde de muito samba, risos e alegria em homenagem a este Santo muito cultuado no Brasil, principalmente na região Sudeste e sincretizado com o Orixá Ogum, que é responsável pela abertura dos caminhos.

Mais de 300 pessoas se reuniram no quadrado, famoso quintal da Roseira. Embalados com o maravilhoso compasso do grupo Lado a Lado, jovens sambistas da cidade de Campinas, com os tambores e dança do Lundu, ritmo contagiante do Candombi, e recheado com uma roda de Jongo dos anfitriões da Casa, tiveram um dia inesquecível, sendo coroados com uns dos idealizadores do projeto, os sempre parceiros e amigos, do Casa Caiada.

O samba pra São Jorge tem com objetivo principal, demarcar na cidade de Campinas a importância da Cultura Afro Brasileira e sua musicalidade, como sua respeitável influencia do sincretismo. Sambar para São Jorge, mais do que homenagear e sambar para um Santo, é evidenciar a cultura negra do nosso país.

23 de Abril é dia de Jorge na Casa de Cultura Fazenda Roseira, e quem perdeu fique ligado que ano que vem tem mais!

‘’Lá laia laia laialá, vamos saudar São Jorge Cavaleiro’’

Veja mais fotos em: https://www.facebook.com/pg/fazendaroseira/photos/?tab=album&album_id=1548552998502247

Texto: Bianca Ribeiro e Alessandra Ribeiro

Contribuição das Mulheres e a Feijoada das Marias do Jongo

Pelo 13° Ano consecutivo a Comunidade Jongo Dito Ribeiro comemora o aniversario das Marias do Jongo, tal festividade que tem como objetivo fundamental, evidenciar a contribuição dessas Mulheres, Negras e Filhas de Dito Ribeiro, para a Salvaguarda do Jongo através dos seus saberes culinários de ensinamentos e lições de vida. Por meio delas, realçar e homenagear todas as outras mulheres que contribuem não só para a Salvaguarda do Jongo quanto para toda sociedade em geral.

O que seria do mundo sem as Mulheres?


Mulheres como Edna Lourenço e Zeila, que anualmente passam a noite preparando a deliciosa feijoada que é servida durante o evento. Mulheres como as meninas do jongo que ajudam em toda produção e organização do evento, como também no apoio do preparo destes alimentos. Mulheres amigas e parceiras que nos auxiliam na venda dos convites, já que a feijoada consiste num evento beneficiente que anualmente acolhe 400 pessoas gratuitamente em tal festividade. Mulheres fotografas e do áudio visual, que registram todos os processos, para que possamos sempre ter essa memoria. Mulheres, Mulheres, Mulheres… que inclusive, deram a vida a todos os homens, nossos parceiros e que fazem parte da nossa trajetória, historia e processo permanente pela busca de direitos e igualdade de gênero, como DJ Barata, que abrilhantou nossa festa com sua nostalgia e sons da antiguidade, Mulheres como Dona Ivani, que cedeu seu quintal na Lapa/SP para que jovens se reunissem e dessem origem ao Samba da Ivani que sacudiu o público cheio de energia boa e sorrisos para compartilhar, Mulheres como as mães do Grupo da Serrinha que colocou a juventude para pagodear e do SaciCriolo que finalizou a Feijoada das Marias do Jongo, com chave de Ouro.

Viva as Mulheres! Viva a 13° Feijoada das Marias do Jongo! Com seus símbolos, seus tambores e sua importante ação de resistência pela permanência das tradições culturais negras.

Fotos: Neander Heringer

Por Bianca Ribeiro e Alessandra Ribeiro

4º Encontro da Juventude de Terreiro RMC de Janeiro discutiu Combate a Intolerância Religiosa e Patrimônio nos Terreiros

O Encontro Anual da Juventude de Terreiro é um evento que está na quarta edição. É a maior ação realizada por nós, Coletivo de Jovens de Terreiro RMC, e teve como tema este ano o Combate a Intolerância Religiosa.

Nele reunimos jovens de diferentes cidades (acabamos extrapolando a região de Campinas) para conversamos sobre nossas vivências enquanto Povos Tradicionais de Matriz Africana. No encontro discutimos Patrimônio dos Terreiros, Políticas Públicas, Violências, Juventudes e Ancestralidade.

Em especial, este ano tivemos o número de jovens um tanto reduzido paralelo com os outros anos, porém, com isso, foi possível dialogar, vivenciar e trocar conhecimentos mas profundamente entre nós, nos sentimos realmente mais próximos.

Tivemos a oportunidade de receber a Doutora e Mestra Jongueira Alessandra Ribeiro, Mãe de Ibeji, Pai Okun Ololá, Mãe Edna Lourenço, entre todos os outros, que trouxeram seus saberes para compartilhar conosco, através de suas palestras e dinâmicas.

No primeiro dia fizemos, em parceria com a Mãe Ekedji Edna Lourenço, a abertura do Encontro com uma mesa sobre Intolerância Religiosa em que foi homenageado o Pai Ubiacylê, o qual foi um dos Sacerdotes mais velhos do município de Campinas e no fim do ano de 2016 fez sua passagem para o Orun. Na mesa tivemos também a presença de um Sheiki do Egito que também prestou suas homenagens ao Sacerdote.

No segundo dia, pela manhã, participamos da Oficina Patrimônio nos Terreiros com a Alessandra Ribeiro que nos fez entender que os nossos Terreiros são nossos Patrimônios e isso tem uma importância elevada para as nossas Comunidades Tradicionais de Matriz Africana. No período da tarde, trabalhamos em grupos sobre os vários espaços que sofremos Intolerância Religiosa e a partir da discussão cada grupo desenvolveu uma criação artística solucionando problemas apresentados. E a noite aconteceu a Macumbalada, espaço de descontração e diversão realizado por nós jovens ao som dos atabaques. Foi magnifica!!! Alcançamos desde os pontos tradicionais de Terreiro, Axé Baiano até as rimas de funk e rap da atualidade.

E no terceiro e último dia, pela manhã andamos pela Fazenda Roseira para contarmos um pouco a história dos Encontros passados e as marcas que cada encontro deixou no espaço: 1º Encontro – Plantio de um Baobá, 2º Encontro – A entrega da Casinha de Zumbi dos Palmares, 3º Ano – Uma telha pintada que ganhamos para decorar a Casa de Zumbi demarcando o 3º encontro. E para o 4º Encontro, qual seria a ideia? Aproveitamos nesta caminhada para fazermos também um Mutirão da Limpeza no entorno do Casarão. Tivemos também a presença de Pai Odecy, de Embú das Artes, contando um pouco sobre a árvore milenar que é o Baobá.

Na Plenária definimos então que o que demarcaria este encontro era uma camiseta da Juventude de Terreiro RMC com a assinatura de todos os Jovens presentes no Encontro. Além disso combinamos 02 datas: a do Mirongas e Batuques para o dia 20 de Maio de 2017 e o próximo Encontro de Juventude de Terreiro RMC para 19, 20 e 21 de Janeiro de 2018.

Encerramos o encontro com o Tradicional Almoço com os Pais e Mães de Santo que tiveram seus filhos presentes no encontro e sem seguida a apresentação dos trabalhos desenvolvidos na tarde de sábado sobre os diversos espaços e situações de Intolerância Religiosa.

Eventos como esses que são anuais mas que também mantém uma agenda de trabalho e aproximação durante o ano, são de extrema importância para que nós, jovens de Terreiro, nos fortaleçamos nas nossas Comunidades Tradicionais e na Luta contra a Intolerância Religiosa.

Veja mais fotos em:  https://www.flickr.com/photos/129926628@N03/albums/72157676252451024

Por Bianca Ribeiro e Vanessa Dias

E vamos para a última semana do VIII Sou África em Todos os Sentidos

O mês de Novembro acabou, mas o VIII Sou África em Todos os Sentidos não!!

Depois do momento especial de Reinauguração do Centro de Referência Jongueiras e Jongueiros do Sudeste e do Centro de Documentação Tia Edite Ribeiro Barbosa (Vejam as fotos em https://www.facebook.com/Comunidade-Jongo-Dito-Ribeiro-210733955783015/), vamos para a última semana do Sou África deste ano.

inauguracaocr

inauguracaocr2

inauguracaocr3

inauguracaocr4

Corre que ainda dá tempo de participar da nossa programação e como a exposição do Centro de Referência é permanente, você pode aproveitar e visitá-la e saber mais sobre Jongo, sobre outras comunidades do Jongo do Sudeste e Projetos e Ações do Jongo Dito Ribeiro.

Segue programação desta semana:

viii_sou_africa_05dez11

06 de dezembro (Terça feira)

10h Cosmovisão dos povos do tronco linguístico Banto e sua relação com a tecnologia. Coord. Lucas César.

14h Quilombo construção de identidade e agricultura quilombola. Coord. Maíra da Silva

19h Assistência Social e as Matrizes Africanas – à confirmar

07 de dezembro (Quarta-feira)

10h Racismo ambiental e impactos urbanos – Coord. Lucas César e Maíra Silva

14h Avaliação das parcerias (2014-2016) e novas estratégias (2017-2018) Coord. Alessandra Ribeiro

08 de dezembro – NÃO ABRIREMOS nesse dia.

20h Evento do Pai Francisco na Casa de Cultura Tainã

09 de dezembro (Sexta-feira)

10h Estratégias para divulgação e acesso ao acervo do CR e Centro de Documentação Coord. Alessandra Ribeiro

14h Oficina Lab Afrohacker (coord. Flávia Machado e Vanessa Dias)

10 de dezembro – (Sábado)

10h Pisa na Tradição – Jardim Bassoli

18h Elesbão – TEATRO NA RUA – Praça Bento Quirino

11 de dezembro Casamento AFRO (Domingo)

É necessário se inscrever e adquirir convites para participar. Informações: alejongo@gmail.com

Vagas limitadas.

AXÉ!!